imagem_blog_Janeiro

Por que hoje?

8 de janeiro de 2016

Por: Simone Paulino

Hoje completamos um ano de vida – se considerarmos que a vida começa quando o desejo difuso de algo ganha uma forma e diz seu nome. Foi na noite do dia 8 de janeiro de 2015 que o nome “Nós” se materializou na minha mente. Portanto, a Nós existe em mim desde aquele instante. A rigor, nosso aniversário oficial é 25 de janeiro, quando firmamos o contrato de abertura da editora.

Mas a Nós, como eu (os mais íntimos sabem) tem essa pluralidade até na data de nascimento, o que a torna paradoxalmente singular. Como eu, terá duas datas de aniversário, dois signos, dois sóis, duas luas, duas marés, duas sortes, dois destinos.

Uma amiga numeróloga me disse outro dia que eu tinha acertado muitíssimo na numerologia da Nós. Que era um número de muita luz, destinada a brilhar, projetar tudo e todos que estivessem no entorno dela. Só que eu não fiz a numerologia da Nós! Ela é o que é porque é. E se brilhou – e brilhou muito em seu primeiro ano de vida – brilha por natureza e não por ter sido matematicamente arquitetada – pelo menos não por mim.

Outro dia eu estava no cabeleireiro e enquanto escovavam meus cabelos uma moça disse: Eu queria fazer umas luzes iguais às dela, exatamente neste tom. A moça que fazia meu cabelo respondeu: É que esse tom, exatamente esse tom, é impossível. Porque não são luzes, esta é a cor verdadeira do cabelo dela. Essa luz que você vê é luz própria. Não dá para copiar.

Queria que a luz da Nós fosse como essa luz do meu cabelo. Irreproduzível, singular, no que é força e no que é fraqueza. Sim, porque as luzes do meu cabelo não são luzes. São os meus brancos, que vão se multiplicando conforme o tempo passa, mas nenhum (nenhum cabeleireiro) até hoje quis mudar porque dizem que é raro o modo como o pigmento se distribui no meu fio de cabelo.

De modo que gostaria que a Nós ganhasse seus anos de vida exatamente assim: transformando o tempo vivido em luz, naturalmente. Amadurecendo, claro, mas sem perder o brilho, o frescor, o vigor.

Bem,  aí está o enigmático 2016 nos olhando nos olhos e dizendo: E então?

Esperamos atravessar esse ano novo que chega hoje com muita luz, para enxergar os melhores caminhos, saber dar nossos passos, com cautela, mas muita confiança no nosso destino de ser o que pudermos ser. Nossa casa vai crescer – de livros e de eus! Tem tanta gente incrível chegando, e trazendo sob os braços cada livro lindo! Então, Nós que aqui estamos – hoje mais felizes e experientes do que antes – esperamos ter a sua companhia ao longo do próximo ano – nos lendo, nos olhando, nos querendo, nos ajudando a existir.